É mais do que sabido que esta maravilhosa experiência de ter filhos nos faz colocar várias áreas e assuntos do nosso dia a dia em perspectiva.

Passamos a fazer coisas que nunca imaginamos. Toleramos situações outrora impensáveis (e até gostamos!). Damos por nós a estruturar uma série de itens em função dos pequenos seres que nos regem a partir do momento em que nascem.
Aplicando-se a temas tão diversos como o lazer, o trabalho ou a comida, isto não tem de ser necessariamente mau, antes pelo contrário.
E é principalmente no que diz respeito ao separador “comida” que eu mais batalho. Sem radicalismos mas com perseverança.
Este ano a Popota, a melhor hipopotama dançarina que conheço, e que o miúdo acha super “gila” desde que a viu ao “bibu”, mostra no seu vídeo de Natal um resumo da sua história e crescimento. Não deixando esquecer a impressionante e dorida rapidez com que os miúdos nos fogem do colo.

Ao visualiza-lo relembrei que o essencial continua a ser estarmos lá, sempre o mais presentes possível, durante todo o processo. Não desistir só porque eles resistem e voltam a resistir.

Aplicando-se isto à alimentação, é certo que as crianças não vão gostar sempre do que lhe damos, mas facilita muito ambienta-las desde cedo com o que queremos que elas comam. Isto é, quanto a mim, crucial para que percebam a importância de uma alimentação equilibrada.
E, se não desistirmos, quando menos esperamos somos surpreendidos.
Se dificilmente pensaria que o meu filho de 4 anos se ia apaixonar perdidamente por umas bolinhas energéticas do Mr. Jamie, muito menos podia imaginar que passassem a ser sugeridas, pelo próprio, para compor todos os lanches escolares.
Claro que me agrada conseguir ir levando as coisas no sentido de lhe fornecer opções mais saudáveis. Ainda que não saiba até quando, quero acreditar que a permanência dessas opções na vida dele o farão ter uma adequada consciência alimentar no futuro.
Partilho esta sugestão do livro “Receitas Saudáveis”, do Jamie Oliver, que, de forma totalmente inesperada, encantou o meu filho.
E como nunca se sabe quantas mais crianças poderá encantar, nada como experimentarem numa próxima lancheira.

 

TRUFAS DE ALPERCE, GENGIBRE E CAJU

(Receita do livro “Receitas Saudáveis”, do Jamie Oliver)

Ingredientes

(10-12 trufas)100 gr de caju (sem sal)
20 gr de sementes de sésamo
80 gr de alperces secos
20 gr de arroz tufado integral
1 pedaço de gengibre fresco (uso cerca de 2 cm)
1/2 colher (chá) de especiarias (usei canela e erva doce)
Raspa de laranja
1 colher (sopa) de mel

Preparação

Levar os cajus e as sementes de sesamo a torrar ligeiramente numa frigideira antiaderente, até estarem ligeiramente dourados. Reservar.
Levar a triturar cerca de 30-40 gr de cajus até ficarem em pó e reservar num prato.
Colocar na trituradora/processador os restantes cajus, as sementes de sésamo, os alperces e o arroz tufado. Triturar bem até obter uma mistura fina.
Descascar o gengibre, ralar e adicionar, juntamente com as especiarias e a raspa de laranja. Triturar novamente e por fim juntar o mel. Voltar a triturar até a massa começar a ficar mais agarrada. Pode demorar um pouco mas fica.
De seguida, com as mãos húmidas, formar bolinhas/trufas do tamanho desejado, passando-as de seguida pelo cajú em pó.
Conservam-se 2 semanas em recipiente hermético.
Nota: em relação à receita original apenas acrescentei a raspa de laranja e reduzi a quantidade de mel e de gengibre.
Nota 1: é uma massa bem granulada e textura, de aroma e sabor intenso.